Bem estar

PRATICANDO SAÚDE

Nestes tempo de isolamento social é preciso estar atento para não ficar muito parado sem atividades físicas.

Ficar em casa assistindo televisão, deitado e ouvindo música pode oferecer muito mais riscos à saúde do que fumar, beber ou estar com uns quilinhos a mais. Isso porque o sedentarismo é um dos principais fatores de riscos para o desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis, como problemas cardiovasculares, cânceres e diabetes. De acordo com dados do Ministério da Saúde, a inatividade física é responsável por 54% dos riscos de morte por distúrbios cardiovasculares, 50% dos de derrames fatais e 37% dos riscos de casos de câncer. Para fugir dessas estatísticas só há uma alternativa: levante-se do sofá, deixe a preguiça de lado e mexa-se!

O tipo de exercício não importa, desde que seja praticado moderadamente e orientado por profissional habilitado que respeite, acima de tudo, o limite físico de cada pessoa. Os benefícios são consideráveis: aumento da imunidade, redução da pressão arterial e dos níveis de colesterol, queima de calorias, controle da diabetes, fortalecimento muscular e ósseo, melhora na capacidade pulmonar e na flexibilidade das articulações. Além disso, também há aumento da auto-estima e do bem-estar, redução do estresse e melhoria no convívio social.

No entanto é preciso muito cuidado na hora de praticar exercícios. Quando mal orientadas, as atividades físicas podem ter efeitos contrários. Lesões nas articulações dos joelhos ou nos tendões, dores na coluna, nos ombros e pescoço, distensão muscular, desmaios e até paradas respiratórias são sintomas do exagero na dose de exercícios ou falta de acompanhamento profissional adequado.

A atividade física é importante nos mais variados aspectos da nossa vida e é essencial para uma vida mais saudável e um envelhecimento tranquilo. Procure seu médico e comece o quanto antes a mudar sua vida.

fonte: http://portal.saude.gov.br/

Voltar para listagem