O vírus do HPV muitas vezes pode ser silencioso e não apresentar sintomas, por isso, é necessária a vacinação. Além disso, claro, o uso de preservativos nas relações sexuais e a redução do número de parceiros sexuais são também essenciais para a prevenção."> Previna-se contra o HPV e o câncer de colo de útero | O plano global de saúde da sua família

Bem estar

Previna-se contra o HPV e o câncer de colo de útero

O que é HPV?

O HPV (sigla em inglês para Papilomavírus Humano) é um vírus que infecta pele ou mucosas (oral, genital ou anal), tanto de homens quanto de mulheres, provocando verrugas anogenitais (região genital e no ânus) e câncer, a depender do tipo de vírus. A infecção pelo HPV é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST).

O vírus HPV é a principal causa do câncer do colo de útero, o terceiro tipo mais frequente entre as mulheres, atrás apenas do câncer de mama e de cólon e reto. Por isso, a incorporação da vacina no calendário nacional tem o objetivo de prevenir o câncer do colo do útero.

Diagnóstico

O diagnóstico do HPV é atualmente realizado por meio de exames clínicos e laboratoriais, dependendo do tipo de lesão, se clínica ou subclínica (não visíveis a olho nu).

Lesões clínicas: podem ser diagnosticadas, por meio do exame clínico urológico (pênis), ginecológico (vulva/vagina/colo uterino) e dermatológico (pele).

Lesões subclínicas: podem ser diagnosticadas por exames laboratoriais, como: o exame preventivo Papanicolaou (citopatologia), colposcopia, peniscopia e anuscopia, e também por meio de biopsias e histopatologia para distinguir as lesões benignas das malignas.

Em entrevista ao Jornal da USP, a professora Silvana Maria Quintana, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP afirma que o aparecimento de verrugas se enquadra no caso clínico e que este não necessita de exame para diagnóstico. Já no caso subclínico, é preciso realizar o exame para descobrir se o HPV tem potencial de se tornar câncer. O terceiro caso é a infecção latente, em que não há manifestação do vírus e a transmissibilidade é próxima de zero. Sobretudo, Silvana enfatiza que a melhor forma do paciente saber se é portador do vírus HPV é realizando exames, já que muitas pessoas são assintomáticas.

Prevenção

Vacina contra o HPV: é a medida mais eficaz para prevenção contra a infecção. A vacina é distribuída gratuitamente pelo SUS e é indicada para:

- Meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos;

- Pessoas que vivem com HIV;

- Pessoas transplantadas na faixa etária de 9 a 26 anos;

Mas, ressalta-se que a vacina não é um tratamento, não sendo eficaz contra infecções ou lesões por HPV já existentes.

Exame preventivo contra o HPV: o papanicolau é um exame ginecológico preventivo mais comum para identificar de lesões precursoras do câncer do colo do útero. Esse exame ajuda a detectar células anormais no revestimento do colo do útero, que podem ser tratadas antes de se tornarem câncer. O exame não é capaz de diagnosticar a presença do vírus, no entanto, é considerado o melhor método para detectar câncer de colo do útero e suas lesões precursoras.

Quando essas alterações que antecedem o câncer são identificadas e tratadas, é possível prevenir 100% dos casos, por isso é muito importante que as mulheres façam o exame de Papanicolaou regularmente.

Preservativo: o uso do preservativo (camisinha) masculino ou feminino nas relações sexuais é outra importante forma de prevenção do HPV. Contudo, seu uso, apesar de prevenir a maioria das IST, não impede totalmente a infecção pelo HPV, pois, frequentemente as lesões estão presentes em áreas não protegidas pela camisinha (vulva, região pubiana, perineal ou bolsa escrotal). A camisinha feminina, que cobre também a vulva, evita mais eficazmente o contágio se utilizada desde o início da relação sexual.

Saiba mais sobre a prevenção contra o HPV no link abaixo com a entrevista da professora Silvana Maria Quintana para o Jornal da USP .

https://jornal.usp.br/wp-content/uploads/2020/04/SAUDE-SEM-COMPLICA%C3%87OES-31-03-2020-VACINA-HPV.mp3

 

Fonte: https://www.gov.br/saude   -   https://jornal.usp.br/ 

Voltar para listagem